Como funciona a imprensa chapa branca


Determinados empresas de comunicação e órgãos de imprensa mantém a seguinte relação com prefeituras, câmaras municipais, governadores, etc.: PAGOU TEM NOTÍCIAS POSITIVAS, NÃO PAGOU LEVA PAU!

Funciona mais ou menos assim: o político procura o jornalista (ou vice-versa) e oferece publicidade institucional (dinheiro, muito dinheiro) e em troca o jornalista(?) vira amigo da administração e à partir daí as notícias negativas (denúncia, protesto, oposição) somem do noticiário. Só tem espaço as notícias positivas, como se a cidade fosse um mar de rosas, e como se nada de irregular estivesse acontecendo com aquela determinada administração. E pau na oposição. Tudo devidamente pago, e bem pago, com dinheiro público, é claro.

Às vezes você, amigo leitor, abre um jornal e não consegue entender o porque – apesar de tantas irregularidades e denúncias, nada sai no jornal. Agora sabe porque.

É tentador. Mas o jornalista tem que decidir o que quer: se credibilidade e isenção, ou suspeição e descrédito. Alguns não se curvam a este perverso sistema e prefere ficar do lado do seu leitor, que é o maior patrimônio de um jornalista.

E isso acontece também nas cidades pequenas, viu? As vezes o jornal local ignora os acontecimentos locais pra atacar o governo federal, lá na distante Brasília, e, descaradamente, encobre as falcatruas dos governos locais e nada é publicado, a não ser fotos (muitas fotos) de políticos abraçados e aos risos.

Leia o texto abaixo e entenda o porque que a grande mídia, a imprensa golpista e pestilenta, ataca as administrações petistas, principalmente Lula e, agora, Dilma e poupa os tucanos, principalmente a administração do PSDB encrustada no estado de São Paulo há 17 anos.

Alckmin gasta R$ 9 milhões com assinatura de jornais e revistas

Do site: NaMariaNews (www.namarianews.blogspot.com)

Interrompemos nossas saudáveis férias para informar que a chuva é molhada, o sol é quente, a grama é verde e a Educação de São Paulo continua a mesma, embora sob completa nova direção.

José Bernardo Ortiz Monteiro é o presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) desde sua nomeação pelo Governador Geraldo Alckmin, em janeiro deste ano.

Pois não é que depois de ferrenha labuta nas negociações, Ortiz acatou ordem superior e assinou milhares de exemplares de jornais e revistas do PIG (Proba Imprensa Gloriosa) – para as melhores escolas públicas do mundo, cujos professores são também os mais bem remunerados do planeta? Sim. Exatamente como fizeram seus antecessores, o ex-governador José Serra e o finado Paulo Renato Costa Souza, ex-secretário de Educação de SP, o Barão de Taubaté fechou com a Folha de SP, Estadão, Veja, IstoÉ e Época. Tudo, como sempre, sem licitação.

Desnecessário dizer que, mais uma vez, a revista Carta Capital não aparece no rol dos favorecidos.

Eis os contratos, datas e seus valores, de acordo com o Diário Oficial:

27/julho/2011 – Época
- Contrato: 15/00628/11/04
- Empresa: Editora Globo S/A
- Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 (cinco mil e duzentas) assinaturas da “Revista Época” – 52 Edições, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo – Projeto Sala de Leitura.
- Prazo: 365 dias
- Valor: R$ 1.203.280,00
- Data de Assinatura: 26/07/2011
(*Primeiro comunicado no DO em 12/julho/2011)

29/julho/2011 – Isto É
- Contrato: 15/00627/11/04
- Empresa: Editora Brasil 21 LTDA
- Objeto: Aquisição pela FDE, de 5.200 (cinco mil duzentas) assinaturas da “Revista Isto É”, 52 Edições, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo – Projeto Sala de Leitura.
- Prazo: 365 dias
- Valor: 1.338.480,00
- Data de Assinatura: 25/07/2011.
(*Primeiro comunicado no DO em 12/julho/2011)

3/agosto/2011 – Veja
- Contrato: 15/00626/11/04
- Empresa: Editora Abril S/A
- Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 (cinco mil e duzentas) assinaturas da “Revista Veja”, 52 Edições, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo
- Projeto Sala de Leitura
- Prazo: 365 dias
- Valor: R$ 1.203.280,00
- Data de Assinatura: 01/08/2011.
(*Primeiro comunicado no DO em 12/julho/2011)

6/agosto/2011 – Folha
- Contrato: 15/00625/11/04
- Empresa: Empresa Folha da Manhã S.A.
- Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 (cinco mil e duzentas) assinaturas anuais do jornal “Folha de São Paulo”, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo – Projeto Sala de Leitura
- Prazo: 365 dias
- Valor: R$ 2.581.280,00
- Data de Assinatura: 01/08/2011.
(*Primeiro comunicado no DO em 23/julho/2011)

17/agosto/2011 – Estadão
- Contrato: 15/00624/11/04
- Empresa: S/A. O Estado de São Paulo
- Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 assinaturas anuais do jornal “O Estado de São Paulo”, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo – Projeto Salas de Leitura.
- Prazo: 365 dias
- Valor: R$ 2.748.616,00
- Data de Assinatura: 01-08-2011.
(*Primeiro comunicado no DO em 23/julho/2011)

Total: R$ 9.074.936,00

Leia a matéria completa aqui: http://namarianews.blogspot.com/2011/09/alckmin-9-milhoes-pela-fidelidade-da.html
No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

PUBLICIDADE