Polícia faz reconstituição de assassinato de taxista

O casal demonstrou frieza durante a reconstituição.
(Fotos gentilmente cedidas pela Polícia Civil)
A Polícia Civil realizou ontem (31/01) a reconstituição do assassinato do taxista João Soares Sobrinho, de 65 anos, morto com quatro facadas no dia 3 de setembro do ano passado (leia aqui) em uma estrada no Bairro da Lavrinha, zona rural de Pilar do Sul.

Assista o vídeo clicando aqui.

O aparato policial, que contou também com a participação da Polícia Militar e da Polícia Científica, atraiu a atenção de populares. A reconstituição foi realizada na Praça João Ayub, onde o taxista fazia ponto, na Praça Gabriel Válio, onde o taxista teria sido abordado pelo casal, e no Bairro da Lavrinha, onde o taxista foi assassinado.

O crime foi desvendado pelo Setor de Investigações Gerais (SIG) da Polícia Civil em 26 de outubro. Após checar várias linhas de investigação, o SIG identificou e prendeu André de Oliveira, de 19 anos (leia aqui), acusado do assassinato e, em 3 de dezembro, prendeu a mulher dele, Denise Aparecida Monteiro, de 21 anos, acusada de coautoria do crime (leia aqui).

Quando foi preso, André contou uma história fantasiosa e alegou o taxista mantinha um relacionamento amoroso com sua amásia e que motivado por ciúmes matara o taxista.

Inicialmente, Denise confirmou a história do marido, mas no curso da investigação, e diante das evidências e provas, acabou confessando o crime e admitiu que não tinha qualquer relacionamento amoroso com Joãozinho do Caxangá e que ela e o marido roubaram e mataram o taxista.

Ontem, durante a reconstituição, André mudou a sua versão e confessou que mataram o taxista para roubar.

Segundo a polícia, os acusados, que seriam usuários de drogas, estavam precisando de dinheiro e tinham, na manhã do fatídico dia, tentado emprestar dinheiro de um parente. Como não conseguiram, planejaram realizar um roubo.

Segundo apurou a investigação, e corroborado na reconstituição, o casal estava na Praça João Ayub (Bairro Campo Grande) quando o taxista passou. Eles pararam o taxista e contrataram uma corrida para a área rural. No Bairro da Lavrinha André, que estava no banco de trás com a amásia, sacou a faca e anunciou o assalto. Joãozinho não teria reagido, mas com extrema frieza, André golpeou o taxista no pescoço, desceu do carro e deu outras facadas na vítima. Em seguida, ainda com extrema frieza, vasculharam o carro, pegaram a carteira com dinheiro e o celular da vítima e deixaram o local, voltando para a cidade.

Para o delgado titular de Pilar do Sul, Dr. Oscar Garcia Machado Junior, o caso está esclarecido e que foi um crime de latrocínio (roubo seguido de morte). Para o delegado, a reconstituição serviu para dirimir algumas dúvidas, determinar a dinâmica do crime e a sequência de como tudo aconteceu, na versão dos acusados. Dr. Oscar disse que o inquérito está concluído e que será encaminhado para a Justiça para a aplicação da ação penal contra os acusados. Eles já estão com a prisão preventiva decretada e aguardarão o julgamento presos. Ele na cadeia de Iperó e ela na penitenciária de Votorantim.






Fotos: Polícia Civil

No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

PUBLICIDADE