Desaparecimento de homem mobiliza policias e bombeiros em Pilar do Sul

Corpo de Bombeiros realizaram buscas na represa.
O desaparecimento de Moisés Gentil Pinheiro, 25 anos, mobilizou as polícias Civil e Militar de Pilar do Sul e, por causa da suspeita de suicídio, até o Corpo de Bombeiros de Votorantim foi acionado e realizou buscas na represa Jorda Flor, no Bairro da Usina Batista, na tarde desta terça-feira (22) a sua procura.

O caso é cercado de mistérios e contradições. Por volta de 11h de segunda-feira (21) a Polícia Militar recebeu duas ligações anônimas informando que havia um corpo boiando nas águas da represa. Os PMs foram até o local e, próximo a ponte, localizaram uma bermuda, uma camiseta e o documento de identidade (RG) de Moisés, que estava sobre as roupas, em baixo de uma saboneteira. Os policiais localizaram os seus familiares e, desde então, ele era considerado desaparecido.

A polícia descobriu que na manhã de segunda-feira Moisés acionou um taxi e ajustou uma corrida do Jardim Nova Pilar até a rodoviária. Ele perguntou ao taxista o preço para o levar até a ponte da Usina. Ao ser comunicado que ficaria R$ 20 Moisés desistiu e pegou um ônibus, as 8h40, com destino à Piedade e, desde então, não foi mais visto.

Processos - Segundo a polícia, Moisés Gentil Pinheiro responde a diversos processos, em Pilar do Sul e cidades da região, acusado de estelionato.

Condenação - No dia 14 de outubro, último, Moisés Gentil Pinheiro foi condenado a um ano de reclusão acusado de estelionato praticado na cidade de Angatuba-SP. Segundo a sentença da juíza Vanessa Velloso Silva Saad, publicado no Diário Oficial (aqui), no dia 3 de fevereiro de 2011, Moisés foi contratado para construir um poço artesiano, recebeu um adiantamento de R$ 1.500, mas não executou o serviço. Segundo a sentença, mesmo intimado, Moisés não compareceu as audiências e foi condenado à revelia. De acordo com o processo, Moisés tem outras duas condenações criminais, não transitadas em julgado, e responde a diversos processos por estilionato. Segundo a justiça, Moisés vendia serviços de perfuração de poços artesianos, recebia um adiantamento, mas não executava o serviço.

Buscas - Na tarde desta terça-feira homens do corpo de bombeiros, em companhia de familiares, realizaram buscas na represa, mas não conseguiram localizar o suposto corpo que teria sido visto boiando nas águas da represa. A operação mobilizou duas viaturas dos Bombeiros.

Encontro - Na madrugada desta quarta-feira (23), em patrulhamento pelo Bairro Santa Cecília, os policiais militares cabo Batista e soldado Oliveira encontraram Moisés deitado, dormindo em uma calçada, aparentemente sem qualquer lesão. Ele foi conduzido a Santa Casa, onde foi medicado.

Corpo de Bombeiros realizou buscas na represa, mas não localizou nenhum corpo.

Corpo de Bombeiros realizou buscas na represa, mas não localizou nenhum corpo.

No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

PUBLICIDADE