Associativismo pilarense é destaque na Sociedade Brasileira de Fruticultura

A APPC - Associação Paulista dos Produtores de Caqui, com sede em Pilar do Sul e que congrega os produtores de diversas frutas, foi destaque nesta terça-feira (21) no site da Sociedade Brasileira de Fruticultura (SBF) que destacou o associativismo como forma de vencer os principais desafios dos produtores rurais.

UNIDOS INOVANDO A FRUTICULTURA
Pilar do Sul é um dos maiores produtores de caqui do estado.
FOTO: SITE DA APPC.
SBF - O município de Pilar do Sul localizado na região sudoeste do Estado de São Paulo é tradicional produtora de uvas de mesa. Entretanto, nos últimos anos, a área de produção tem diminuído drasticamente por conta de diversos fatores: envelhecimento dos produtores e falta de sucessores na atividade, substituição dos parreirais por culturas mais rentáveis, falta de trabalhadores rurais, falta de segurança nas propriedades rurais.

A atividade no campo é considerada pouco atraente por ser pesada, quente, desconfortável, suarenta, poeirenta, pouco rentável, sujeita às mais diversas intempéries da natureza (geadas, granizos, chuvas intensas, seca), muitas vezes sem descanso nos finais de semana, baixa qualidade dos produtos por falta de assistência técnica, sujeito à calotes na hora da venda dos produtos e pela falta de poder de barganha com o mercado comprador/atacadista/varejista.

Por esses e outros fatores muitos vem deixando a atividade agrícola. A tendência nos próximos anos, se nada for feito, é alimentar a população com folhas de eucalipto, cana, soja e capim. Entretanto, um grupo de produtores, decidiu se unir em torno da APPC para oferecer um novo conceito em frutas.

A APPC está se especializando na produção de frutas diferenciadas, oferecendo um algo a mais: mais doces, mais graúdas, mais limpas, mais bonitas, menos ácidas, menos sementes, com embalagens diferenciadas, volumes reduzidos, voltado para paladares exigentes e que valorizem os diferenciais.

Para tanto, os associados vem trabalhando intensamente no aperfeiçoamento técnico, no desenvolvimento de novas embalagens, no desenvolvimento de novas variedades, na capacitação técnica, etc. Todo este trabalho envolve um custo, que sozinho o agricultor não consegue bancar facilmente. A forma encontrada para trabalhar esses conceitos foi através do associativismo.

Os produtos APPC valem mais? Sim valem mais, pela dedicação e pelo esforço que individualmente e coletivamente temos feito para oferecer um produto que não tem comparação no mercado.

Fonte: Site da SBF (clique aqui)
Conheça o site da APPC (clique aqui)
No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

PUBLICIDADE