Tribunal do Juri condena Jacildo por assassinato de Laércio

Réu foi considerado culpado pelos jurados/Foto: Sergio Santos.
Em julgamento realizado nesta terça-feira (05) o Tribunal do Júri acatou a tese da acusação e considerou o lenhador Jacildo Oliveira, 50 anos, culpado do homicídio do pedreiro Laércio Mendes da Rosa, 40.

A pena aplicada pela juíza Karina Jemengovac Perez, que presidiu a sessão, foi de seis anos de reclusão em regime inicial semiaberto. Como o réu está preso desde o dia dos fatos, portanto há dois anos, oito meses e dez dias, a juíza concedeu ao réu o direito de apelar da sentença em liberdade.

O crime ocorreu (leia aqui) no início da noite do dia 26 de novembro de 2011 no Bar do Gordo na rua D. Lucio Antunes de Souza, centro. Segundo o processo, após uma discussão entre ambos, Jacildo, o ‘Caipoca’, teria desferido dois golpes de faca contra Laércio.

Jacildo na época do crime.
FOTO: POLÍCIA CIVIL.
Em seu depoimento em plenário, diferentemente do declarado anteriormente, quando foi preso e em juízo, Jacildo se declarou inocente da acusação. Disse que não conhecia e que não matou Laércio e que apenas passou pelo bar, tomou um aguardente e foi embora e só soube do homicídio quando foi preso, em casa, pela polícia.

A promotora Luciana de Fátima Carboni Rodrigues Abramovich sustentou a tese da acusação, mas orientou os jurados, formados por quatro mulheres e três homens, que desconsiderasse as qualificadoras, de motivo fútil e por meio que dificultou a defesa da vítima, pugnando pelo homicídio simples, o que, ao final, ocorreu.

Laércio, tinha 40 anos.
FOTO: POLÍCIA CIVIL.
Já a defesa do réu foi exercida pelo advogado Antonio Gabriel de Lima, que insistiu na tese da sua inocência, solicitando aos jurados a absolvição de Jacildo. A defesa vai recorrer da sentença.

A sessão do Tribunal do Júri foi realizado no plenário da Câmara Municipal, já que o Fórum local não dispõe de auditório para julgamentos.
No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

3 comentários:

Rodrigo Bernardo disse...

A justiça nesse país é inacreditável. O indivíduo é condenado por um júri por assassinato e vai apelar em liberdade. E um juiz do STF impede o trabalho de um ex-ministro da República, condenado por um julgamento farsa, contra o qual os próprios ministros do STF reconhecem não haver nenhuma prova.

Anônimo disse...

E esse Rodrigo Bernardo, será que ele acredita em fadas e Duendes? Coitadinho do ministro, vai passar fome por não trabalhar...ahhh rapaz larga mão de ser inocente...e não me venha com mimimi, passar bem!

Anônimo disse...

Pelo que parece nosso amigo Rodrigo,nao entende nem um pouco de Politica,essa corja de ladrao que dominaram nosso pais, e esta querendo entender de Direito.

Postar um comentário

PUBLICIDADE