Pilar do Sul registra 20 casos de dengue em 2015

A Vigilância Sanitária (VISA) da Secretaria de Saúde da Prefeitura Municipal de Pilar do Sul divulgou que, até segunda-feira (06), foram confirmados 20 casos de dengue em 2015 no município. Destes, 12 são importados e 8 são autóctones, ou seja, foram contraídos no próprio município.

Segundo a VISA, no total, foram notificados 51 casos suspeitos, destes 24 foram descartados e 7 aguardam resultados de exames laboratoriais.

A Secretaria da Saúde alerta para o risco de um aumento de casos e pede para que a população colabore para evitar mais contaminações. Para combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, é preciso que a população tome cuidados simples, como jogar ou armazenar adequadamente latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerante e outros recipientes que possam acumular água;

Pneus velhos também acumulam água. Deixe sempre os pneus em local seco e protegido de chuva. Jogue fora garrafas PET e de vidro vazias. Quando guardar, vire as garrafas com a boca para baixo para que não armazene água. Lacre bem os sacos de lixo e mantenha a lixeira tampada e seca.

Em caso de suspeita de contaminação, procure um posto de saúde, de preferência o Centro de Saúde ‘Terezinha de Moraes Arsilla’ (Campo Grande), ou a Santa Casa, para que possam ser avaliados os casos e tomadas as devidas providências.

Região
Reportagem divulgada nesta quarta-feira (08) pelo site do Jornal Cruzeiro do Sul (aqui) a Região Metroplitana de Sorocaba (RMS) já contabiliza 38.087 casos de dengue em 2015. Segundo os dados, Sorocaba registra 32.006 casos e Salto de Pirapora 1.550 casos, este ano.

Ações levam o combate à dengue até as escolas de Pilar do Sul
Palestra realizada na escola Pe. Anchieta / Foto: Divulgação.
Com o objetivo de combater a dengue e conscientizar os estudantes em relação à doença, a VISA/VE e o Instituto Corpore estão realizando ações de saúde nas escolas de Pilar do Sul. Os estudantes recebem orientações sobre contágio, sintomas e tratamento da dengue.

Os estudantes também são alertados para o perigo que representam possíveis reservatórios de água parada, como pneus, garrafas velhas, vasos de plantas e outros objetos onde o mosquito transmissor da doença (Aedes Aegypt) pode desenvolver criadouros. (Fonte: Instituto Corpore).
No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

PUBLICIDADE