Giriboni critica IML por demora de 13h na autopsia de piloto de motocross morto em acidente

Para o deputado, o IML de Itapetinga é totalmente despreparado, faltam médicos legistas, estrutura e comando e cobra providências de Alckmin

Edson Giriboni: Tem que pedir desculpas à família.
Foto: Divulgação / ALESP.
Utilizando a tribuna da Assembléia Legislativa (ALESP), o deputado estadual Edson Giriboni (PV) teceu duras críticas ao IML (Instituto Médico Legal) de Itapetininga pela demora em realizar a autópsia e liberar o corpo do piloto pilarense Rodrigo Pereira Domingues, de 34 anos, morto no dia 14 de junho, último, durante uma prova do campeonato estadual de motocross em Guareí-SP (leia aqui).

De acordo com o deputado, o corpo do piloto deu entrada no IML as 20h10 e só foi autopsiado e liberado para a família na manhã do dia seguinte, quase 13 horas depois.

“Pela falta de médicos, pelas regras, pela burocracia e talvez até por insensibilidade, a autópsia do jovem só ocorreu no dia seguinte, às 8 horas e 50 minutos. O corpo desse jovem ficou 12 horas e 40 minutos no IML esperando pela autópsia, enquanto a família sofria com esse desrespeito às pessoas”, disse Giriboni.

Para o deputado o IML de Itapetininga é totalmente despreparado e faltam médicos legistas.

“Conversando com o IML, soube que faltam médicos, falta estrutura, não há comando. Entrei em ação como deputado, pedindo em nome dessa família, e o delegado seccional fez o mesmo, mas infelizmente o corpo do jovem ficou todo esse tempo no IML sem que houvesse um médico legista para fazer a autópsia e liberá-lo para a família”, disse. 

O deputado disse estar triste, chateado, revoltado, indignado e decepcionado por esse fato ocorrer no estado de São Paulo, o mais rico da federação, particularmente na sua cidade, e espera que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) apure os fatos e tome as providências para que eles não ocorram novamente.

“Se isso ocorreu na cidade de Itapetininga, que é uma das mais importantes do estado, imaginem nas cidades mais distantes, com uma população menor?”, questionou Giriboni. 

“É preciso tomar providências e pedir desculpas às famílias por falhas em um momento tão difícil”, disse. “Eu fiz questão de deixar registrada a minha indignação, que deve ser a indignação de milhares de paulistas quando se defrontam com uma situação tão triste como essa”, finalizou Edson Giriboni.
No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

2 comentários:

Paulo Motta disse...

É, precisa morrer alguem famoso ou rico para haver críticas quanto a negligencia do IML isso acontece há muito tempo e todos sabem, uma pergunta, Giriboni, só agora você se manifestou, por que só agora? Ah acho que é porque pobre pode esperar, rico não!

Anônimo disse...

ai que dó gente...Rico ou pobre, somos todos filhos de DEUS, todos nós merecemos respeito, a família do Rodrigo estava sofrendo demais, assim como outras que passam pela mesma situação, muito triste....

Postar um comentário

PUBLICIDADE