Geraldo Alckmin visita Pilar do Sul nesta terça-feira

Mauricio, Alckmin, Janete e Angelo Paiotti / Foto: Arquivo/Secom/PMPS.
O governador Geraldo Alckmin estará nesta terça-feira (28), às 15h, em Pilar do Sul para fazer a entrega de equipamentos do Programa Microbacias 2 e anunciar a formalização de dois novos convênios para melhorias de estradas rurais no município.

A cerimônia será realizada no recinto municipal de eventos Chico Mineiro com previsão de chegada do governador e início dos trabalhos as 15h.

O governador será recepcionado pela prefeita Janete Carvalho, vice-prefeito Angelo Paiotti e autoridades municipais. Todos estão convidados para o evento.
No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

13 comentários:

Blog do Welbi disse...

Mesmo enfrentando a grave crise econômica que o país vive, gerada pelos erros na condução da política econômica do governo federal, o governador Geraldo Alckmin não deixa de apoiar e investir nos municípios paulistas, com obras prioritárias e nas áreas sociais como segurança, saúde e educação.

Anônimo disse...

Ele podia também trazer o secretário da educação para ver quantas pessoas não alfabetizadas de todas as idades tem na cidade, é triste, mas parece que ninguém liga para isso

adilson disse...

So nao estuda quem nao quer porque e so ter vontade propia porque no vida Lacerda tem o eja ate cursos técnico tem tem faculdade o que mais querem em relação a escolas ir buscar na casa e colocar numa sala de aula? Comentário do anônimo sem fundamento hein

Ivone Machado disse...

Basta querer ser alfabetizado e de graca paga nada so faculdade tem ter dinheiro pra estudar

Anônimo disse...

Na vdd essas pessoas que tem dificuldade na leitura e escrita é a bela lei criada pelo governo, não existe mais repetência e nem um incentivo ou uma aula de reforço para esses alunos com dificuldades. Falta abrir os olhos para essa questao.
Conclusão: chega nas últimas séries sem saber ao menos interpretar um texto ou escrever as palavras certas é a realidade infelizmente.

Anônimo disse...

Apoiado.

Maita disse...

É muito fácil dizer que o aluno tem dificuldades. Na verdade, nós, quanto formadores desta criança é que estamos falhando. Na Finlândia a educação é 100% estatal e simplesmente a melhor educação do mundo.

Repetir não garante aprendizado, apenas constrangimento. O que falta é qualificação para o professor.

Anônimo disse...

Então os professores que atuam são todos desqualificados? Na minha opinião não.. Tem excelentes professores, assim como nem todos os alunos são iguais, uns tem mais dificuldade que outro para captar o aprendizado, sim mais investimento mesmo na qualificação concordo porque a formação de um professor tem que ser na teoria e na prática, tem que ter o dom de ensinar. Se aplicar uma prova bem estruturada no município poucos seram aprovados.

Maita disse...

Não digo que são desqualificados. Em sua grande maioria não tem domínio do tema e nem interesse em transmiti-lo. A baixa remuneração não pode ser uma desculpa. Quantos profissionais neste país são mal remunerados? Isso não pode ser desculpa.

As dificuldades não podem ser motivo de repetência. Cada criança tem seu ritmo. Respeitar esse ritmo é fundamental. É claro que com salas lotadas, o professor não tem como acompanhar esses fatos. Outro fator importante é a ideia de que a escola tem que educar. Isso é um erro. Quem educa é a família, seja qual for sua constituição. A escola é para transmitir base técnica indispensável para o jovem. Educação vem de casa. Na escola você vai obter conhecimentos para futuramente aplicá-los.

A trinca alunos sem civilidade - intenção imediatista de mercado - professores despreparados é o tripé do caos que está a educação. Mas não é só aqui. Outros grandes países também passam pelo mesmo problema.

Anônimo disse...

É meu amigo maita, q belo discurso. Vai ver a realidade, conversa com um professor, com um diretor, ai vc vem postar essas besteiras tua aqui.

Maita disse...

Besteiras? primeiro. Fui auxiliar de educação no cajuru, bairro de Sorocaba. Participei da oficina do saber. Fizemos um belo trabalho com as crianças tidas como sem esperança. Os ganhos em termos de nota estão registrados. É um programa que deu certo e a prefeitura de Sorocaba o mantém. Dentre as coisas que observei, a mais interessante foi a facilidade com que as crianças consideradas terríveis, quando abordadas de outra forma, conseguiam ganhos consideráveis. Crianças que mal liam, conseguiam fazer observações matemáticas bem legais para a idade. É uma questão de respeito.

Estive recentemente na FLIP e conversei com Edward Frenkel, russo naturalizado americano, professor da Universidade da California em Berkley e ele defende veementemente a mudança da forma de ensino, especialmente o de matemática. Só frisando que ele mesmo, um dos grandes nomes da matemática hoje em dia, foi rejeitado na universidade de Moscou. Quando os americanos o descobriram, trouxeram-o imediatamente para Harvard.

Segue em anexo um pouco do que Frenkel e Arthur Ávila tem a dizer da forma de ensino atualmente.
https://www.youtube.com/watch?v=bZQYu5INPK0

Anônimo disse...

É vai ver esse tempo passou e vc pode ser que esteja um pouco fora ds nossa realidade. Se tão informado assim e participativo, aconselho o senhor a viver a realidade hj. Vai nas escolas, vai ver d perto. Conversa com um diretor, um professor tenho certeza q vai somar pro teu mestrado. Abçs

Anônimo disse...

Cajuru? Sorocaba? Oficina do saber? Quantos conseguiram vaga? Conheço a realidade. Diante das colocações do sr Maita...que se disponibilize a ele, uma sala e aplique seu método revolucionário com 35 alunos, com o material didático fornecido pelo governo do Brasil, e a realidade vivida dentro do ambiente escolar do Brasil e veremos o que conseguirá. Então diga o que é desculpa de professor mal remunerado e desqualificado. E vemos nesses infelizes comentários, feitos pelo sr, a grande diferença do Brasil com esses países citados como referência em educação 100%...o "respeito", a "valorização" e a "gratidão" pelo professor.

Postar um comentário

PUBLICIDADE