Pilar do Sul inicia campanha para conscientizar e combater a capina química

Imagem ilustrativa / Foto: reprodução da internet.
Nesta terça-feira (20) a Prefeitura de Pilar do Sul, por meio da Secretaria de Saúde e da Vigilância Sanitária, dá início a campanha “Eliminando a Capina Química nas Cidades Paulistas”. Ao longo da semana será distribuído um material informativo explicando os riscos, danos e a proibição desse tipo de procedimento. 

A capina química consiste na utilização de produtos químicos para o combate de plantas consideradas invasoras ou daninhas. Mas o uso indiscriminado dessas substâncias pode ser perigoso à saúde humana e ao meio ambiente, provocando a contaminação do solo, da água, de plantas e árvores.

A venda destes produtos não é autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). O uso indiscriminado desses herbicidas, mesmo que em quantidades pequenas, pode causar envenenamento.

As crianças são as mais vulneráveis e sujeitas à intoxicação, sobretudo quando fazem uso de espaços públicos para brincar ou quando estão sentadas ao chão e levam à boca objetos e alimentos que estão contaminados com o veneno.

Os animais domésticos (como cães, gatos, cavalos e pássaros) também pode sofrer algum tipo de intoxicação — seja pela água que ingerem ou pelo consumo de capim, sementes e alimentos espalhados pelas ruas.

A campanha está sendo desenvolvida em todo o estado pelo Centro de Vigilância Sanitária da Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde.

Prefeitura aboliu esse procedimento

A Prefeitura de Pilar do Sul utilizava a capina química, mas, de acordo com o engenheiro agrônomo Roberto Tibiriçá, responsável pelo setor de meio ambiente da secretaria de agricultura, há cerca de seis meses aboliu esse procedimento.

“Hoje estamos realizando a capina manual e, por ser mais trabalhoso e pela carência de funcionários, o mato nas vias urbanas está acumulando. Estamos intensificado o serviço, vamos realizar uma força-tarefa para dar conta do trabalho e contamos com a colaboração de todos para nos ajudar, mantendo limpos as calçadas e sarjetas em frente as suas residências”, disse Tibiriçá.


No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

1 comentários:

Anônimo disse...

Acho interessante, mas será que os órgãos públicos varão a capina de enxada nos lugares que forem de sua responsabilidade?

Postar um comentário

PUBLICIDADE