Moradores do bairro Campo Grande reclamam de falta d’água

Sede da Sabesp  (ETA) em Pilar do Sul / Foto: Sérgio Santos.
Diversos moradores do bairro Campo Grande e bairros adjacentes, principalmente os das regiões mais altas, entraram em contato com a nossa redação para reclamar da Sabesp pela constante falta d’água.

Muitos deles também utilizaram as redes sociais para manifestar indignação pelo que consideram um descaso com a população e para cobrar providências por parte da Sabesp, autarquia responsável pelo abastecimento de água na cidade.

Eles relataram que, desde meados do natal, a falta de água é constante, principalmente nos finais de semana.

Nesse final de semana, disseram, não foi diferente e faltou água durante todo o dia de sábado e o abastecimento só se normalizou na madrugada e manhã de domingo.

Na manhã desta segunda-feira (25), a nossa reportagem esteve na Sabesp e conversou com o gerente local, José Vagner de Almeida Barros, que explicou que na madrugada de sábado aconteceu um problema com o motor que bombeia a água da ETA (Estação de Tratamento de Água) para o reservatório do Campo Grande e que, como o problema se deu durante a madrugada, só foi percebido pelo funcionário pela manhã, quando o reservatório já estava praticamente vazio.

Ele disse que o problema com a bomba foi solucionado, mas, como o volume de água enviado da ETA para o reservatório era menor que a demanda, não conseguia repor e encher o reservatório o que acarretou falta de água nas residências localizadas nas partes mais altas daqueles bairros.

Barros disse que, durante o sábado, a central de atendimento ao cliente da Sabesp recebeu 11 reclamações de falta d’água.

O gerente explicou que, atualmente, existe apenas uma bomba que envia água da ETA para aquele reservatório e que sempre que dá problema, e dependendo do problema, pode demorar horas para ser consertado, o que poderia ocasionar falta de água naquela região.

Para solucionar de vez este problema, explicou, a Sabesp está instalando duas novas bombas para enviar água da ETA para aquele reservatório e enquanto uma estiver funcionando a outra ficará de reserva, acoplada ao sistema, e assim que uma der problema a outra entrará imediatamente em operação, evitando que falte água no reservatório, o que deve acabar de vez com a falta d’água na região do Campo Grande.

José Vagner disse que a obra de instalação do novo conjunto de bombas está em fase final de execução e que em breve, assim que for concluído, entrará em operação.
Sabesp está concluindo a instalação do novo conjunto de bombas...
... que enviará água da ETA para o reservatório do Campo Grande...
...o que deverá acabar com a falta d'água naquela região / Fotos: Divulgação.
Foto: Arquivo / Blog do Sérgio Santos.
No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

8 comentários:

Anônimo disse...

Eu quero estar errado, mas, trabalho com manutenção de bombas e principalmente com estações de tratamento de agua e parece que a bomba mostrada na reportagem é uma bomba helicoidal para bombeamento de lodo conhecida como bomba NEMO ou p... de porco fabricada pela NETZSCH do Brasil, acho que é migué.

Anônimo disse...

esta empresa chamada Sabesp, vem trazendo transtorno a cidade não é de hoje.

Anônimo disse...

Sr. Sergio santos, se possível questionar o Sr. Vagner com relação ao que diz o primeiro comentário se é mesmo isso, se for verdade ele esta usando de má fé e brincando com o conhecimento do povo. Vou pedir para um conhecido meu que entende dar uma olhada na bomba e dizer se é realmente para bombeamento de agua ou lodo como diz o primeiro comentário.

Anônimo disse...

Fui no show da maria cecilia e rodolfo sem tomar banho....culpa da sabesp. Tamo lascado e mar pago....

Maita disse...

Não é minha área mas nesta última foto parecem sim duas motobombas multiestágio. São utilizadas para transporte de águas à grande distância. Por se tratar de uma operação complicada, a bomba tem que estar preparada para trabalhar com águas turvas, o que pode ser entendido como lodo também. Por isso a confusão.


A única observação é que por ser multiestágio em eixo horizontal, essa é a configuração de potência mínima. Mas acredito que alguém fez os cálculos e essa bomba deve atender a demanda com folga.

Anônimo disse...

Primeiro, vc Maita não entende então não fala, quem esta dizendo sobre a bomba no primeiro comentário sou eu perito em bombas, só terminei de construir a maior estação de tratamento de efluentes automatizada do estado, e quando digo lodo é algo que jamais pode estar em uma rede de agua potável, caracterizado como lodo o resíduo retirado da agua em primeiro estagio da purificação, e não se trata de uma bomba multiestágio como vc menciona é bem diferente, procure pelo modelo que descrevi no primeiro comentário e vai saber como funciona e pra que serve. Gostaria mesmo de ter um parecer do Sr. Vagner da Sabesp sobre esse assunto.

Maita disse...

Quando você diz construiu, você quer dizer encaixou as peças e montou, certo? Você projetou a estação? Projetou as bombas? É muito diferente. Estou chutando. Assim como você parece também estar fazendo o mesmo.

Pelo que vejo pela última foto, parece uma bomba multiestágio BME. Mas nunca disse que de fato eram. Apenas me parece que sejam. Assim como o senhor também disse que parece com o modelo que defende.
Olhando o modelo que você comentou, a própria fabricante especifica que o produto é acoplado diretamente ao motoredutor mas na imagem, pelo que vejo, tem uma carenagem laranja entre o corpo da bomba e o motor. Não sei o que é.

Quanto ao lodo, sua definição é bem ampla. É qualquer acumulo de areia e matéria orgânica em qualquer região alagada, tendo sua escala de viscosidade bem distinta. Neste caso as bombas parecem ser adequadas. Não faz sentido se investir em algo meia boca.

Como assim não fala? Onde fica o direito inalienável de manifestar opinião em um regime democrático, dês de que de maneira respeitosa? Apenas lancei luz sobre uma outra oportunidade, esperando ler os comentários de quem entende de fato, como afirma o senhor e assim poder aprender mais também.

Você poderia se identificar ao postar. O debate flui de maneira melhor e suas opiniões poderiam ser verificadas. Poderia dizer ao menos qual a estação trabalhou e qual tipo de serviço prestou(mais especificamente).

Maita disse...

Só para constar. O anônimo/ técnico tem razão. Fui ver a bomba a partir da rua e deu pra ver que o corpo da bomba é da linha NEMO fabricada pela NETZSCH e utiliza motor WEG.

Liguei também na SABESP para pedir informações técnicas da bomba e quem me atendeu informou que todo detalhamento da operação está em Itapetininga.

Mas NEMO é uma linha de bombas e não um modelo específico. E a instalada pela SABESP parece ser a "sludge", especialmente projetada para saneamento e, portanto, seu uso é absolutamente normal.


Essa linha de bombas depende bastante do motor associado e tem os mais diversos usos. São usadas tanto na indústria alimentícia quanto na petroquímica. Sem problemas.

Postar um comentário

PUBLICIDADE