Sabesp esclarece qualidade e tratamento da água potável distribuída na cidade

Estação de Tratamento de Água da Sabesp / Foto: Sérgio Santos.
A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) se manifestou na manhã desta sexta-feira (01) esclarecendo dúvidas sobre a qualidade da água potável distribuída no município.

Após um homem ter sido encontrado morto dentro da lagoa de captação de água da empresa (leia aqui) muitas pessoas questionaram as condições sanitárias da água potável que recebem e se haveria algum risco em consumi-la.

Por meio do técnico em sistemas de tratamento Edson Assuncim, responsável pela estação de tratamento de água (ETA), a Sabesp esclareceu que, como o fato ocorreu na captação de água bruta, o caso não afeta a qualidade final da água que antes de chegar aos consumidores passa por diversos tratamentos químicos e filtragens.

Para a Sabesp, o fato se deu em um local público de responsabilidade municipal, onde há alambrados e placas indicativas informando que é proibido o acesso para pescar e nadar, bem como a entrada de animais, mas mesmo assim as pessoas desrespeitam a proibição.

Com relação a qualidade da água, Assuncim disse que ela é captada na lagoa e bombeada para a ETA, onde passa por um processo de purificação, tornando-a potável nas condições de consumo, e distribuídas para a população, sem risco algum para a saúde pública.

Tratamento e filtragem

Edson Assuncim explicou o processo de tratamento da água. Na primeira etapa, no processo de pré-tratamento, a água recebe bicarbonato de sódio, para correção do PH, cloro, para desinfecção, e coagulante, para eliminar o material suspenso.

Na segunda etapa a água passa pelo processo de floculação, decantação e filtração. No último processo é feita a correção final, com cloração de reforço e correção do PH e fluoretação, e só assim a água é enviada para a rede e distribuída para os consumidores em perfeitas condições de consumo.

No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

1 comentários:

Diogo Carvalho disse...

A gente toma em pilar do sul o caldo do lixão literalmente, é uma pouca vergonha a população da "nascente das águas" tomar uma água dessa.

Postar um comentário

PUBLICIDADE