Polícia Civil de Pilar do Sul desarticula quadrilha de roubo de caminhão com atuação em SP e MS

Cinco acusados estão presos / Foto: Polícia Civil.
O Setor de Investigações Gerais (SIG) da Polícia Civil de Pilar do Sul desarticulou uma quadrilha da região de Sorocaba especializada em furto e roubos de caminhões, com atuação interestadual. De acordo com a investigação, após adulterar chassi e placas, os caminhões eram levados para o estado do Mato Grosso do Sul, onde eram comercializados. A polícia suspeita que alguns deles foram destinados ao Paraguai.

A investigação teve início no ano de 2014, quando diversos caminhões e automóveis roubados, ou furtados, começaram aparecer na Fazenda Vitória, propriedade localizada no bairro da Saudade, zona rural de Pilar do Sul, e alguns na zona urbana da cidade, geralmente em postos de combustíveis.

“Foram realizados diversos trabalhos investigativos até que identificamos os integrantes da quadrilha, que era especializada não só em furtar, mas em adulterar (clonar) os caminhões, e que agia em todo o interior do estado”, explicou Reinaldo Fabri, um dos investigadores de Pilar do Sul.

No dia 06 de julho, após identificar os integrantes da quadrilha, a equipe do Dr. Milton Andreoli, delegado titular de Pilar do Sul, com apoio do GARRA (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) da Delegacia Seccional de Sorocaba, deflagrou a Operação Vitória, denominação dada em alusão à Fazenda Vitória - local onde a quadrilha ocultava os caminhões, para cumprir 14 mandados judiciais de busca domiciliares e 09 de prisão preventiva de suspeitos em diversas cidades da região de Sorocaba e Itapetininga e, no dia 12, no município de Dourados, no Mato Grosso do Sul.

De acordo com a polícia, cinco dos acusados estão presos. São eles: Leandro Teixeira de Sousa, o "Cabelo" (de Votorantim), apontado pela polícia como responsável por providenciar os documentos utilizados na clonagem dos caminhões; Ricardo de Oliveira Ribeiro (de Tapiraí); Marcos Roberto Miranda, o "Zóio" (de Tatuí); Florival de Góes, o "Baiano" (Itapetininga); e Matheus Ricciardi Sobrinho (de Tapiraí), apontado como um dos articuladores da quadrilha.

Outros quatro não foram encontrados e são considerados foragidos da justiça: Claudinei Higino da Silva, Diogo Paulo Bento (ambos de Votorantim), Adriano Carlos da Rocha e Carlos Fischer (ambos de Dourados-MS).

Um dos mandados de busca foi cumprido em uma reserva indígena na cidade de Dourados-MS, na aldeia Jaguapiru, onde vivem mais de 20 mil índios da tribo Terena, na residência de Carlos Fischer. Ele não foi localizado, mas os policiais de Pilar do Sul e do GARRA, com apoio do Polícia Civil de Dourados, apreenderam um caminhão caçamba Mercedes Benz  , de origem ilícita.

O investigador Reinaldo Fabri contou que a equipe foi muito bem recepcionada pela Polícia Civil de Dourados, mas a incursão na aldeia foi tensa. 

“No momento que chegamos em Dourados, o delegado e os investigadores locais tinham ido para a aldeia devido a um estupro de uma indiazinha de cinco anos de idade. Lá avistaram o Carlinhos Fischer, mas este conseguiu fugir pela mata”. “A aldeia é totalmente sem regras, não reconhecem a polícia como autoridade e só dialogam com a Polícia Federal e FUNAI. Foi a primeira vez na história que foi cumprido um mandado de busca dentro daquela aldeia. Então a situação foi tensa e tinha que ser feito rápido, porque os índios poderiam se revoltar e vir pra cima da equipe”, relatou Fabri.

“Pessoal da delegacia de Dourados foram super receptivos, realizaram campanas e buscas conosco, mas infelizmente não logramos êxito em prender os dois acusados, até porque a informação das prisão dos seus comparsas dias antes deve ter chegado até eles”, lamentou o investigador. 
Claudinei Higino, Diogo Paulo, Adriano Carlos e Carlos Fischer estão foragidos / Fotos: Polícia Civil.
No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

PUBLICIDADE