Idosa cai no ‘golpe do carro quebrado’ e perde R$ 3.700

Golpe geralmente é aplicado de dentro de presídios.
Uma idosa de 67 anos, com nível superior, caiu em um golpe e perdeu R$ 3.700 para falsários que se passaram por seu sobrinho, que estaria com o carro quebrado na rodovia.

Ao registrar a ocorrência na Delegacia de Pilar do Sul, a mulher explicou que atendeu uma ligação no seu telefone fixo e o homem do outro lado da linha perguntou: “Sabe quem está falando?” e ela respondeu: “João, meu sobrinho?”, o que ele confirmou: “Sim. Sou eu, titia!”.

A partir daí, se passando pelo sobrinho, o homem disse que estava vindo visitá-la e o carro quebrou na estrada e pediu que a idosa ligasse para o celular número 011 95043-1775 e acionasse o seguro.

A idosa ligou e o homem que atendeu prontamente se dispôs a socorrer o sobrinho, mas pediu R$ 1.500 que seria a despesa com o mecânico. Cumprindo as instruções do falsário, a mulher foi até o Banco do Brasil e fez a transferência para uma conta poupança em nome de Fátima Alves de Souza.

Logo depois, o homem ligou de volta e disse que o carro tinha apresentado também problemas na parte elétrica e custaria mais R$ 2.200, que ela também fez a transferência.

Apenas depois de transferir R$ 3.700 para a conta do falsário, a mulher se lembrou de ligar para a casa do sobrinho, que reside em São Paulo, sendo informada pela mãe que ele não tinha viajado e que, pelo contrário, estava na empresa trabalhando. Só ai ela se deu conta que tinha caído em um golpe.

A ocorrência foi registrada e agora a Polícia Civil vai investigar a beneficiária da conta poupança, que recebeu os depósitos e a quem pertence a linha celular utilizada no golpe.

Polícia adverte para o golpe

A polícia adverte que este tipo de golpe, assim como o do falso sequestro, é recorrente em várias regiões do país, e que as pessoas devem ficar atentas.

O golpe geralmente é aplicado por bandidos que estão cumprindo pena em presídios.

Para evitar golpes como esse segue algumas dicas:

- Desconfie de números de telefones desconhecidos e de DDDs de lugares distantes, as quais não possui parentes ou se quer conhecido;

- Jamais faça transações bancárias antes de confirmar a veracidade dos fatos. Ligue para o parente ou pessoa que solicita a ajuda e certifique-se da situação.

- Em caso de dúvida, ligue para a Polícia Militar 190
No Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. MTB 51.754/SP.
    Comentar pelo Blogger
    Comentar com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

PUBLICIDADE