Mais um jovem comete suicídio por enforcamento em Pilar do Sul


PUBLICADO EM 28/12 AS 22h59 - EDITADO EM 29/12 AS 06h59 (PARA INCLUIR FOTO)
Foto: Sérgio Santos.

Um jovem de 23 anos de idade cometeu suicídio no início da noite desta quarta-feira (28) em Pilar do Sul. É o segundo caso em pouco menos de duas semana registrado na cidade.

Wellington da Silva Vieira foi encontrado enforcado a uma corda amarrada a estrutura de ferro de uma coluna da residência em que ele morava com os pais, na rua Júlio Prestes de Albuquerque, no bairro Campo Grande.

De acordo com o apurado no local, ao lado do corpo havia uma garrafa vazia de vinho e ele teria sido visto bebendo cerveja durante o dia de hoje. Além disso, o jovem já teria tentado suicídio há menos de dez dias atrás.

Após a perícia, o corpo de Wellington da Silva Vieira, o 'Alemãozinho', como era conhecido, seria encaminhado para o IML – Instituto Médico Legal, para autópsia.

A Polícia Militar atendeu a ocorrência e preservou o local até a realização da perícia. A investigação ficará a cargo da Polícia Civil.

No dia 15 de dezembro, último, outro jovem, de 22 anos, também se suicidou por enforcamento (leia aqui).
Wellington, in memorian / Foto: Reprodução da Internet.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. Editor responsável pelo Blog do Sérgio Santos. Registro de Jornalista MTB 51.754 / SP.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

5 comentários:

  1. Meu Deus!!!! Que tristeza, tenha compaixão e misericórdia de nossos jovens...

    ResponderExcluir
  2. Seria melhor não divulgar os detalhes de como esses jovens se mataram. Faz parte do código de ética jornalístico, porque cada notícia assim costuma incentivar outros casos de suicídio.

    ResponderExcluir
  3. Publiquem os telefones de prevenção ao suicídio, do cvv 141, mas não os detalhes de como as pessoas fizeram.

    ResponderExcluir
  4. Olá Julia, tudo bem?

    Ao contrário do que você AFIRMOU, o tema não é tratado pelo Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros e nem pelo Código de Ética e Auto-regulamentação da Associação Nacional de Jornais, dois dos principais documentos deontológicos do jornalismo brasileiro.

    Respeito muito a sua opinião (tanto que seu comentário foi publicado), mas entendo que a notícia se ateve única e exclusivamente ao interesse público e o direito do cidadão à informação.

    Mas entendo que o tema é controverso, suas observações são pertinentes e nos fazem refletir.

    Obrigado pela participação e continue sempre opinando.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Oi Sérgio, você tem razão, não há uma proibição explícita. Sem ser jornalista, li códigos de empresas de comunicação e teses sobre o assunto para um trabalho na minha área. Acho ainda que a divulgação dos detalhes não tem utilidade prática e que o risco de "dar ideia" para pessoas que já estejam com dificuldades não compensa a possível vantagem jornalística.

    ResponderExcluir