Ladrão é preso em flagrante após furtar botijão de gás no Campo Grande


O ajudante geral Genezildo de Oliveira, 30 anos, foi preso acusado de furtar um botijão de gás de uma residência na avenida Kinkiti Shimomoto no bairro Campo Grande.

O flagrante aconteceu no início da tarde de sábado (06). Por volta de 13 horas uma testemunha viu o homem pulando o muro da residência e alertou um vizinho, que foi averiguar e viu o suspeito dentro do quintal.

O homem alegou que trabalhava como servente de pedreiro na casa e que tinha ido buscar uma blusa que havia esquecido no local.

Logo depois a mesma testemunha viu o ladrão pulando o muro com o botijão de gás e novamente alertou o vizinho, que telefonou para o dono da casa e relatou o ocorrido.

Em companhia do vizinho, o dono da casa, um motorista de 27 anos, saiu a procura do ladrão e o deteve ainda nas imediações, recuperando o seu botijão de gás.

Com apoio da Polícia Militar o suspeito foi conduzido à Delegacia de Polícia onde o delegado de plantão, Oscar Garcia Machado Junior, o autuou em flagrante acusado de furto qualificado, permanecendo recolhido na cadeia local.

Genezildo de Oliveira é natural da cidade de Registro (SP), reside em Pilar do Sul, é casado e tem um filho de 10 anos.

Audiência de custódia

No domingo (07) foi realizada no plantão judiciário em Sorocaba a Audiência de Custódia do preso Genezildo de Oliveira.

O caso foi analisado pela juíza Gláucia Cyrillo Pereira que converteu o flagrante em prisão preventiva, mantendo o acusado na cadeia para a garantia da ordem pública, da instrução criminal e da aplicação da lei penal.

Para a magistrada, não seria cabível a liberdade do acusado dada a gravidade do crime cometido e a periculosidade de Genezildo, que seria reincidente.

Compartilhar no Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. Editor responsável pelo Blog do Sérgio Santos. Registro de Jornalista MTB 51.754 / SP.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

  1. Que bom! o mesmo aconteceu comigo mas infelizmente não teve o mesmo desfecho. Pois não era o Genezildo servente de pedreiro e sim um bacana que arrependido devolveu​ o que roubou,aí eu não pude registrar o boletim pois o almofadinha se arrependeu do roubo e não poderia ser caracterizado um crime. É:o velho bordão faz sentido a justiça é cega.

    ResponderExcluir
  2. Prbns juiza glaucia...bandido tem q ficar preso

    ResponderExcluir