Cachorra vítima de maus tratos e choque elétrico é resgatada de cativeiro na zona rural


Agentes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e da Polícia Civil flagraram na quarta-feira (12) uma situação de maus tratos à animal no bairro Bandeirantes, zona rural de Pilar do Sul.

Após receberem uma denúncia anônima, os agentes Maíra e Rubison, o médico veterinário Daniel e os investigadores Carol e Reinaldo se deslocaram ao local indicado e encontraram uma cachorra de aproximadamente dois anos, sem raça definida, extremamente debilitada.

O animal era mantido, em meio as suas próprias fezes, sem água e comida, em uma área cercada com fios elétricos que emitia choque, cada vez que o anima se encostava na rede.

Traumatizado por conta do choque elétrico e com medo de descer no chão, a cachorra permanecia o tempo todo em cima de um tambor, seu único abrigo.

Questionado sobre a situação, segundo os agentes, o proprietário do animal alegou que a mantinha assim pois não queria que a mesma fosse na plantação ou saísse para outros sítios vizinhos.

O animal foi resgatado e recolhido pelo CCZ. O proprietário foi autuado por maus tratos e responderá criminalmente.

Orientação e denúncia

Maíra Martins, encarregada de controle de zoonoses da Prefeitura de Pilar do Sul, alerta que maus tratos a animais é crime e que as pessoas podem denunciar pelo (15) 3278-4248 não precisa se identificar.

Maíra aponta algumas situações que pode configurar maus tratos aos animais:
  • Manter o animal em local desprovido de higiene, iluminação e ventilação;
  • Mantê-lo sem água e alimento apropriado ao seu porte e espécie;
  • Enclausurar animais em locais que o aterrorizem;
  • Obrigar animais a trabalhos excessivos e ou superiores a sua força e que lhe causem dor e sofrimento;
  • Manter animal em local que lhe impeça a movimentação;
  • Manter animal sem abrigo apropriado de acordo com seu porte;
  • Bater, ferir ou mutilar animais;
A pena para maus tratos a animais é de três meses a um ano de prisão, além do pagamento de multa. A pena aumenta entre um sexto e um terço se ocorrer a morte do animal.

Fotos: Divulgação / Maíra Martins.

Compartilhar no Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. Editor responsável pelo Blog do Sérgio Santos. Registro de Jornalista MTB 51.754 / SP.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

  1. Tem que punir essas pessoas que judia de animais

    ResponderExcluir
  2. Nossa que dó. Ainda o ser humano é passível de qualquer coisa. Não consegue cuidar melhor nem ter.

    ResponderExcluir