Tribunal do Júri condena homicida a pena de seis anos de reclusão


Sessão do Júri Popular foi realizada na Câmara Municipal / Foto: Sérgio Santos
Em sessão do Tribunal do Júri realizada no plenário da Câmara Municipal na manhã desta quinta-feira (26), o Conselho de Sentença julgou o réu Arnaldo Caetano, 41 anos, culpado de homicídio cometido contra Brasílio de Proença Filho, 58.

Segundo a denúncia, em 22 fevereiro, ambos consumiam bebidas alcoólicas quando se desentenderam e iniciaram uma briga. Arnaldo sacou de um canivete e golpeou Brasílio no tórax, que veio a morrer 8 dias depois.

Em plenário, o réu confessou o crime. Alegou que foi xingado e ofendido com um tapa no rosto por Brasílio e, por isso, o golpeou.

Nos debates, defesa e acusação convergiram na mesma tese de homicídio simples, sem as agravantes de motivo fútil e de recurso que dificultou a defesa da vítima, argumentos acatados por maioria de votos pelo corpo de jurados - composto por cinco mulheres e dois homens.

A sentença proferida pelo juiz Ricardo Augusto Galvão de Souza, titular da comarca de Pilar do Sul, foi de seis anos de reclusão.

Como o réu está preso desde o dia do crime e já cumpriu 8 meses em regime fechado, o juiz determinou o início do cumprimento da pena no regime semiaberto (quando o preso sai para trabalhar durante o dia e volta para a prisão durante a noite e nos finais de semana).

A acusação ficou a cargo do promotor público Luiz Fernando Guinsberg Pinto, enquanto que a defesa do réu foi exercida pelo advogado Rodrigo da Silveira Camargo e seu assistente, Jaelson de Oliveira Silva.

Compartilhar no Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. Editor responsável pelo Blog do Sérgio Santos. Registro de Jornalista MTB 51.754 / SP.
    Comentar
    Comentar com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário