Mais quatro macacos são encontrados mortos no bairro Caxangá


Com os de hoje, subiu para seis o total de macacos encontrados mortos nessa região

Quatro macacos bugios foram encontrados mortos na tarde deste domingo (4) em uma propriedade rural no bairro Caxangá em Pilar do Sul.

Segundo o hoteleiro Clayton Murat, 32 anos, que relatou o ocorrido ao portal Pilar News, os animais estavam na mata, na propriedade dos seus avós, todos em um raio de apenas 100 metros.

“Um deles estava em estágio avançado de decomposição, mas nenhum tinha sinais aparentes de violência, ou agressão”, disse.

Ao encontrar os animais, por volta de 17 horas, eles acionaram a Vigilância Sanitária que compareceu ao local e recolheu um dos macacos para análise de laboratório que deverá apontar a causa morte.

Segundo Clayton, os avós residem na localidade há 18 anos e jamais tinham encontrado qualquer macaco morto nestas circunstâncias.

“Lá no sítio todos nós somos vacinados contra a febre amarela, com exceção dos bebês. Como é sítio familiar, assusta os pais das crianças pequenas”, disse.

Seis macacos mortos no Caxangá

Com os quatro de hoje, subiu para seis a quantidade de macacos encontrados mortos no bairro Caxangá.

No ano passado, os dois macacos encontrados no bairro estavam em adiantado estado de decomposição e, por isso, não foi possível colher material para análise da causa da morte deles.

Febre amarela: macaco não é o vilão

A técnica veterinária Maíra Martins, coordenadora de controle de zoonoses da Prefeitura de Pilar do Sul, alerta a população que o macaco não transmite a febre amarela e que, portanto, as pessoas não devem atacar os animais.

Ela explica que eles representam um alerta às autoridades quanto à incidência da doença em áreas silvestres, porque são vulneráveis ao vírus, e ajudam a elaborar ações de prevenção da doença em humanos.

Assim como a dengue, a febre amarela é um vírus transmitido por um mosquito. Na verdade, três: Haemagogus e Sabethes, que propagam a doença nos meios rurais e silvestres, e o Aedes aegypti, transmissor nas zonas urbanas. Não são registrados casos urbanos da doença no Brasil desde 1942.

Os sintomas são febre, dor de cabeça aguda, dores no corpo, vômito e fraqueza. Em casos graves, a pessoa pode ter febre alta e icterícia (cor amarelada na pele e branco dos olhos) e pode evoluir para falência dos rins e do fígado e até causar a morte.

Informações

Para obter informações ou acionar a Vigilância Sanitária pode ligar no telefone (15) 3278-4248. A VISA fica localizada na avenida Miguel Petrere (ao lado do Supermercado Dia).

Fotos: Clayton Murat / Cortesia


Compartilhar no Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. Editor responsável pelo Blog do Sérgio Santos. Registro de Jornalista MTB 51.754 / SP.
    Comentar
    Comentar com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário