Motorista bêbada que causou a morte de Lorena é condenada há mais de 20 anos de prisão


"Nada trará nosso anjo de volta, mas que as pessoas se conscientizem que bebida e direção não combinam", dizem os pais


Em sessão do Tribunal do Júri realizado nesta terça-feira (31) em Salto de Pirapora, a auxiliar de limpeza Maria de Lourdes de Souza Marinho, 55 anos, foi condenada há 20 anos, 4 meses e 11 dias de reclusão por, embriagada, ter provocado o acidente que matou a bebê Lorena Kamonseki, de nove meses, e que causou lesões graves na mãe da criança, Juliana Lucas Flora, e no irmão, então com 3 anos de idade.

A acusação ficou a cargo da promotora pública Helena Cecilia Diniz Teixeira Calado Tonelli e do advogado Luis Francisco Boechat Junior, que atuou como assistente de acusação, que pugnaram pela condenação da ré nos exatos termos da denúncia - de homicídio e dupla tentativa de homicídio na condução de veículo automotor, com dolo eventual, já que conduzia o veículo com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool, assumindo o risco do resultado morte e lesões que causou nas vítimas.

Já a defesa da acusada, exercida pelos advogados Edson Luis Domingues, Fidelcino Maceno Costa e André Luiz Rodrigues, pleitearam pela desclassificação para homicídio culposo (sem a intenção de matar), tese não acatada pelo conselho de sentença.

Após mais de dez horas de julgamento, o corpo de jurados, formado por sete mulheres, considerou a ré culpada de todos os crimes a ela imputados.

A sentença foi proferida pela juíza Thais Galvão Camilher Peluzo que fixou a pena em 20 anos, 4 meses e 11 dias de reclusão, a ser cumprido em regime inicial fechado.

Bastante debilitada devido a sequelas do acidente e um AVC (acidente vascular cerebral) que sofreu na penitenciária de Franco da Rocha, onde está presa, Maria de Lourdes respondeu as perguntas apenas acenando com a cabeça. Durante o julgamento passou mal e precisou ser socorrida ao hospital e medicada.

O acidente
 
O acidente aconteceu no início da madrugada de 14 de fevereiro de 2016 no quilômetro 126 da rodovia Francisco José Ayub (SP-264), no bairro Quintas de Pirapora, em Salto de Pirapora.
 
Segundo o processo, embriagada, Maria de Lourdes Souza Marinho conduzia um veículo VW Santana, invadiu a pista contrária e bateu de frente contra o GM Celta que era conduzido por Juliana Lucas Flora, que viajava em companhia dos filhos. Juliana e Igor ficaram gravemente feridos e foram socorridos ao hospital. Já Lorena não resistiu aos ferimentos e faleceu ainda no local.

Pais desabafam: Que as pessoas se conscientizem que bebida e direção não combinam!

"Princesa Lorena Kamonseki hoje você não está com nós fisicamente, mas sinto o seu carinho, seu amor, dentro de mim. Quero que saiba que Jesus te deu uma família guerreira, que lutou até o final nessa terra, por justiça.

Sabemos que existe uma eternidade e que em breve poderemos te beijar, abraçar e daí sim ficaremos juntinhos eternamente!

Agradeço a Deus, Ele sabe de todas as coisas!

Meu muito obrigado ao Ministério Público, ao Dr. Junior Boechat e Dra. Helena, que nos representaram e atuaram brilhantemente nesse caso. Deus os abençoe poderosamente!

Lógico que nada trará nosso anjo de volta, mas que as pessoas se conscientizem que bebida e direção não combinam. Traz dor, amargura, infelicidade, saudade que não tem fim!" Juliana Lucas Flora e André Kamonseki (pais de Lorena).

Compartilhar no Google Plus

Sobre Sergio Santos

Jornalista, radialista e publicitário. Editor responsável pelo Blog do Sérgio Santos. Registro de Jornalista MTB 51.754 / SP.
    Comentar
    Comentar com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário